O Canadá é um dos destinos mais procurados entre os brasileiros. Para você não perder nada do que há de mais bonito por lá, criamos um guia com as maravilhas naturais que merecem ser visitadas nas provincias de Columbia Britânica e Alberta. Confira:

A primavera chega e o céu azul desanuviado traz a luz e o clima ameno à uma das penínsulas mais protegidas do oceano Pacífico. Minutos antes da aterrissagem, é impossível que a paisagem passe desapercebida até pelos mais céticos e urbanos: a planície extensa do vale proporciona ainda mais grandeza às montanhas cobertas de pinheiros e topos de neve que preenchem o horizonte. Chegar em Vancouver, na Columbia Britânica, não é como chegar em uma cidade qualquer. Ao pisar para fora do avião, não é preciso muito esforço para entender o porquê.

Seu coração, ‘downtown’, ocupa uma das penínsulas da região. O fluxo efervescente se assemelha à Manhattan, em Nova York, mas com uma atmosfera e arquitetura muito mais jovem, contemporânea e moderna. A importância e o valor da natureza para os canadenses é facilmente notado ao analisar de longe o skyline do centro urbano: de um lado, os arranha-céus envidraçados e modernos espelham o azul do céu, do oceano e o verde das montanhas. Do outro, a península é ocupada em grande parte pelo verde do parque mais importante da cidade, o Stanley Park.

A essência da cidade

Vancouver é prova de que uma cidade pode crescer de forma próspera e sustentável. O foco no verde não fica apenas nos parques protegidos e no papel que a natureza exerce na cidade. Ele está na economia, no governo e no modo de vida da população. Políticas públicas obrigam a reciclagem dos detritos de todas as residências e um plano de ação está em andamento para que ela se torne a cidade mais verde do mundo em 2020. Em oito anos, a Columbia Britânica dobrou as áreas protegidas da província para 13,8% do território, um dos percentuais mais altos da América do Norte.

Todo este movimento verde não acontece à toa: o dia-a-dia de quem mora na cidade é uma verdadeira simbiose com a natureza. Atividades ao ar livre estão entre as prediletas da população, faça chuva ou sol. Caiaques, veleiros e stand up paddles deixam as marinas diariamente e pontilham as tranquilas águas do Pacífico que contornam o centro. Nas montanhas, a poucos minutos de distância dali, em North Vancouver, diversos aventureiros saem para dias de trilhas, corridas de aventura e passeios de mountain bikes.

150 anos de Canadá e o oeste do país

Em 2017, o Canadá comemora seus 150 anos. O precoce país é exemplo mundial em termos de desenvolvimento, economia, qualidade de vida e sustentabilidade. Para o turismo brasileiro, é um verdadeiro presente: com população receptiva e educada, atividades para todos os gostos e objetivos, gastronomia excelente, cenário cultural riquíssimo e paisagens naturais exuberantes.

Existem infinitas opções de viagens e passeios para desfrutar a natureza da região mais ocidental do país. Em Vancouver, o sistema de transporte público é ótimo e eficiente. Porém, a melhor forma de conhecer além do centro é alugar um carro para conhecer as areas protegidas e parques da Columbia Britânica e Alberta. Assim, o veículo possibilita mais flexibilidade de tempo e uma viagem no ritmo de cada pessoa.

Dirigir para o norte, leste ou sul de Vancouver é ter a certeza de se deparar com estradas cênicas que parecem retiradas de set de filmes. Para o norte, a rodovia BC-99, a Sea To Sky Highway, leva a Squamish e Whistler pela beira da costa litorânea, em uma surpreendente viagem cheia de curvas e paisagens com montanhas nevadas que se juntam ao oceano. A estrada é considerada uma das mais bonitas do mundo. Ao sudoeste, uma balsa leva os visitantes à ilha de Vancouver, na qual ficam cidades como Victoria e Tofino. Por lá, as baleias orcas costumam dar shows em seus habitats naturais. Ao leste, as maravilhosas Rocky Mountains encantam com seus lagos fascinantes e rios com um azul cristalino turquesa de outro mundo.

maravilhas naturais de vancouver canada por: Virginia Falanghe

Emerald Lake – Foto: Brian Baldrati

Quem planeja visitar as províncias mais ocidentais do Canadá, a Columbia Britânica e estender a viagem para Alberta, sabe que é difícil não criar expectativas. São tantas as possibilidades que é um verdadeiro desafio escolher o que fazer.

Não são só as montanhas, as dramáticas encostas e florestas densas, as províncias ainda tem cidades cosmopolitas cheias de vibrações e cenários, como Vancouver. Cidades médias, como Victoria, que tem um charme inigualável. Também é indispensável conhecer os pequenos vilarejos aconchegantes e cheios de características singulares, como Whistler e Tofino.

Em qualquer um destes lugares, a vontade de estar ao ar livre e conhecer a natureza da região sempre vai chamar a atenção dos viajantes. Não deixe esse desejo passar desapercebido: as trilhas, tirolesas, caiaques, lagos ou até observar a Aurora Boreal são as experiências que vão fazer uma viagem comum se transformar em extraordinária.

Confira o que você precisa conhecer quando estiver em Vancouver e em outras cidades da Columbia Britânica:

 

 

 

O clima oceânico de Vancouver faz com que ela seja a segunda cidade com a temperatura mais alta do país – atrás apenas de Victoria. O inverno não é tão rigoroso como em outras cidades do Canadá e o verão tem temperaturas altas.

É possível ficar anos em Vancouver e ainda assim se surpreender com tudo o que a cidade oferece, principalmente as belezas naturais. São essas, abaixo, as que precisam estar no roteiro de todo o viajante:


Capilano Suspension Bridge Park, Vancouver

A atração turística mais antiga da cidade, aberta em 1889, o parque Capilano é o ‘must see’ em Vancouver. As fotos não conseguem retratar a imensidão do cânion e das árvores da floresta tropical que compõe o cenário do local. Uma ponte suspensa com 130 metros de comprimento e 70 metros de altura é a atração principal. Recentemente, foi aberto um cliffwalk com piso de vidro suspenso em cima do vale que surpreende e encanta até os visitantes.

As árvores, que estão lá desde a era dos dinossauros, continuam crescendo constantemente por conta da neblina que umedece a região. E são nelas que foi instalado o Treetops Adventure’s, uma atração constituída por plataformas suspensas e pontes que ligam um tronco ao outro.

Preços dos Ingressos:  C$ 42.95 Adulto | C$ 38.95 Senior | C$ 33.95 Estudante | C$ 26.95 Adolescentes de 13 a 16 anos | C$ 14.95 Crianças de 6 a 12 anos | Crianças de até 6 anos não pagam.

* Quem visita o parque após às 18h paga o ingresso com 30% de desconto por conta do horário (no verão, quando o dia fica claro até às 22h, é uma dica que vale a pena).

Dicas importantes: Existem shuttles de graça que saem do Canada Place e levam turistas até o Capilano. Para dias de chuva, o parque oferece capas de chuva grátis aos visitantes.

Informações de contato: 3735 Capilano Rd., North Vancouver, BC. | Horários: 8h30 às 20h diariamente no verão | capbridge.com | 604-985-7474.

Grouse Mountain

É possível subir a Grouse Mountain a pé por uma trilha de duas horas de subida. Porém, o caminho fecha durante o verão. A outra opção – e mais comum – é embarcar em um ‘bondinho’ que leva os turistas a uma pequena vila em cima da montanha, onde há mais de 20 atrações no verão. Entre elas, um circuito com cinco tirolesas e até um café-da-manhã com o casal de ursos que vive em uma área cercada por lá.

É possível subir ainda mais alto, mais precisamente a 1.250 metros de altitude. É só pegar as chairlifts que levam os visitantes ao topo da montanha. Os turistas que adquirirem o ingresso mais completo, o ‘Ultimate Experience’, ainda tem direito de  subir ao ‘Eye of The Wind’.  O observatório tem 360º de vistas panorâmicas em cima de um aerogerador.

Preços dos Ingressos: Existem três tipos de ingressos mais comuns na Grouse Mountain. O mais básico, o Alpine Experience, dá direito a subir de bondinho/gôndola até a vila principal. O intermediário, o Peak Experience, permite que os visitantes subam de chairlifts até o topo da montanha. O Ultimate Experience, que é o ingresso mais completo, dá todos os direitos dos outros ingressos e ainda a subida ao observatório Eye of the Wind.

Existem ainda opções de ingressos para experiências na montanha (que são somadas ao valor do ingresso inicial), como a tirolesa (C$ 115 por pessoa), Skyride Surf Adventure (os turistas podem ir em cima do bondinho nesta aventura, C$ 25 por pessoa) e o café-da-manhã com os ursos (C$ 65.95 por pessoa).

Ultimate Experience: C$ 58.95 Adulto | C$ 54.95 Senior | C$ 39.95 Adolescentes de 13 a 18 anos | C$ 15.95 Crianças de 6 a 12 anos | Crianças de até 6 anos não pagam.

Peak Experience: C$ 48.95 Adulto | C$ 44.95 Senior | C$ 29.95 Adolescentes de 13 a 18 anos | C$ 15.95 Crianças de 6 a 12 anos | Crianças de até 6 anos não pagam.

Alpine Experience: C$ 44.95 Adulto | C$ 49.95 Senior | C$ 25.95 Adolescentes de 13 a 18 anos | C$ 15.95 Crianças de 6 a 12 anos | Crianças de até 6 anos não pagam.

Dicas importantes: O programa é recomendado para dias ensolarados, nos quais seja possível admirar a vista da região. Existem shuttles de graça que saem do Canada Place e levam turistas até a Grouse Mountain.

Informações de contato:  6400 Nancy Greene Way, North Vancouver, BC | Horários: 8h45 – 22h todos os dias no verão | https://www.grousemountain.com/

Cleveland Dam

Um tesouro escondido na Capilano Road, o Cleveland Dam, é uma das grandes maravilhas nos arredores de Vancouver. A vista do pequeno parque é deslumbrante. A represa foi criada em 1954 para abastecer a cidade com as águas naturais das geleiras no topo das montanhas e do rio Capilano. O resultado é um lago de águas calmas e um pano de fundo espetacular. Além da vista, admirar a impressionante força da água que corre 91 metros paredão abaixo (na barragem do lago) é indispensável.

Preços dos Ingressos: Entrada Franca.

Dicas importantes: Passar no Cleveland Dam é uma parada rápida entre os passeios de Grouse Mountain e Capilano Suspension Bridge Park.

Informações de contato: Cleveland Dam, North Vancouver, BC V7R

Pôr do sol em Third Beach, Stanley Park

Um dos maiores parques urbanos do mundo e o mais importante de Vancouver, o Stanley Park, é um dos melhores lugares da cidade para um passeio de bicicleta, a pé ou para apreciar o entardecer na primavera e verão. O sol se põe no oceano e um verdadeiro espetáculo de cores acontece no fim da tarde. Uma ótima dica é fazer um picnic para aproveitar ainda mais este momento.

As vistas do Stanley Park também são encantadoras. Na ponta da península de downtown, ele contempla os quatro lados que circulam Vancouver. Ao norte, a vista da Lyon’s Gate Bridge, um marco da cidade. Ao sul ficam as praias com vista para o canal. De leste a oeste, são 400 hectares de florestas preservadas, trilhas, campos de esporte, árvores centenárias e lagos que compõe o cenário.

Dentro do Stanley Park, ainda fica o Vancouver Aquarium, que detém mais de 50,000 espécies de vida marinha e projetos de conservação dos oceanos.

Preços dos Ingressos: Entrada Franca.

Dicas importantes: Uma volta de bicicleta é um dos passeios indispensáveis de Vancouver. Existem diversas lojas de aluguel próximas a entrada do parque.

Onde fica: Vancôver, BC V6G 1Z4

Lynn Canyon Park

Em versão menor e mais acessível que o Capilano Suspension Bridge Park, o Lynn Canyon Park é uma atração natural e tanto, aberta desde 1912. A cerca de 20 minutos de carro de downtown, em North Vancouver, chega a impressionar a transparência da água do rio e das cachoeiras que cruzam o parque. No verão, ás águas gélidas se tornam um playground para adolescentes e crianças que aproveitam o sol para se banhar.

Diversas trilhas e caminhos bem demarcados passam pelo meio da floresta, abrindo passagem para paisagens sublimes em meio às gigantescas árvores do parque.

maravilhas naturais de vancouver canada por: Virginia Falanghe

Lynn Park – Foto: Brian Baldrati

Preços dos Ingressos: Entrada Franca.

Dicas importantes: Diversas mesas de picnic se espalham pela entrada do parque, com uma atmosfera totalmente canadense. Vale levar uns lanchinhos para almoçar por lá. 

Onde fica: North Vancouver, BC

Deep Cove

A menos de 30 minutos de carro de downtown em Vancouver, Deep Cove é parada indispensável para os amantes de trekking e atividades aquáticas. A baia protegida é perfeita para passeios de caiaques e stand up paddles, com vista para as montanhas da região.

Em terra firme, uma trilha leva à ponta da baia, para uma vista panorâmica deste oásis escondido nos arredores de Vancouver. No pequeno centro comercial, cafés e restaurantes com mesas ao ar livre encantam os transeuntes e lojas de artesanato local abrem as portas aos visitantes.

Preços dos Ingressos: Entrada Franca. | Aluguel dos Caiaques e Stand Up Paddles por duas horas:  Caiaque único: C$ 35.95 | Caiaque duplo: C$ 55 | SUP: $ 35

Dicas importantes:   Uma boa opção é chegar de manhã para fazer as atividades ao ar livre e depois descansar e almoçar nos restaurantes do centrinho. Fazer as reservas antecipadas dos caiaques e stand up paddle é uma excelente dica, já que o local é concorrido principalmente nos fins de semana. 

Onde fica: Vancôver, BC V6G 1Z4


Dirigir pela rodovia BC-99 que liga Vancouver à Squamish, Whistler e Joffre Lakes é uma atração por si só. Beirando o Pacífico e com vista para a Ilha de Victoria, as montanhas com picos nevados vão de encontro com o mar, formando um novo cenário a cada curva. A composição de tudo isso é um estrada considerada uma das mais bonitas do mundo: a Sea To Sky Highway.

A estrada tem mirantes incríveis e cachoeiras ao longo da estrada que vale a pena a parada: como a Shannon Falls (ao lado de Sea To Sky Gondola) e a Brandywine Falls (20 minutos a sul de Whistler). As cachoeiras e outros parques da região, como o Parque Provincial de Garibaldi, também são perfeitos para aqueles que adoram caminhar – com inúmeras trilhas marcadas e vistas deslumbrantes sobre as montanhas.

A região é perfeita no inverno e verão, com muitas atrações ao ar livre. No frio, as pistas de esqui são as grandes estrelas do local. Nos meses mais quentes, o sol abre espaço para atividades como trilhas, rafting, caiaque, passeios de quadriciclo ou mountain bike. Reservar um hotel para duas ou três noites em Whistler é uma boa ideia, assim é possível conhecer as cidades vizinhas com calma e ainda se hospedar na cidade mais estruturada e com arquitetura típica de montanha da região.

Squamish

Em pouco mais de uma hora de viagem saindo de Vancouver, a primeira parada é Squamish, uma pequena cidade que fica espremida em um espaço de terra entre as altas montanhas e o oceano. A aventura por lá vai do mar ao céu, como diz o próprio slogan do turismo da cidade.

A começar pela gôndola Sea to Sky que leva os visitantes para experiências incríveis no cume da montanha: como uma travessia em uma ponte suspensa, plataformas para vistas impressionantes e o próprio passeio de gôndola.

Nos rios e corredeiras, o Rafting em Squamish mistura adrenalina com paisagens cênicas da região. Aos visitantes mais entusiastas, existem expedições de até 5 dias de rafting pelas corredeiras que parecem retiradas do premiado longa-metragem de Hollywood ‘O Regresso’, com Leonardo DiCaprio.

Preços dos Ingressos Sea to Sky:  C$ 38.95 Adulto | C$ 37.95 Senior | C$ 24.95 Adolescentes de 13 a 18 anos | C$ 13.95 Crianças de 6 a 12 anos | Crianças de até 5 anos não pagam.

Preços dos Ingressos Rafting:  C$ 153.99 Adulto | C$ 139.99 Adolescentes de 13 a 17 anos

Dicas importantes:  Faça sua reserva com antecedência para as atrações. A rede de farmácias London Drugs vende ingressos com descontos para o Sea to Sky. Para esta atração, existem transportes gratuitos que saem de Vancouver.

Informações de contato: Sea to Sky: 36800 Hwy 99 Squamish, BC V0N 3G0Rafting: Canadian Outback Rafting @ Executive Suites Hotel #100 – 40900 Tantalus Rd Squamish, BC V8B 0R3

Whistler

Sede dos Jogos Olímpicos de Inverno, em 2010, Whistler é uma cidade completamente preparada para o esporte e atividades de aventura. Seu centrinho tem a atmosfera e arquitetura de montanha em sua essência, o que lembra a cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul. O charme do centro atrai visitantes de todas as partes do mundo para a pequena cidade, com cafés e restaurantes espalhados pelas ruas, lojas de grife, de souvenirs e artesanatos, com vista para as montanhas que rodeiam a cidade.

Aos apaixonados por aventura, a tirolesa em Whistler é parada indispensável. Existem seis tipos de tours pelas tirolesas ao longo das montanhas da região. Famílias, adolescentes e adultos entusiastas podem escolher o pacote que mais se adapta às vontades de cada um.

Para se deslumbrar com toda a cordilheira coberta de neve que rodeia a área, uma coisa indispensável a fazer é subir os mais de 2.000 metros da Blackcomb Mountain pela Peak 2 Peak Gondola. A paisagem e as vistas são uma das maravilhas mais inesperadas e surpreendentes da região.

Um dos esportes mais comuns em Whistler no verão são os passeios de Mountain Bike pelas montanhas. Existem empresas que fazem tours diversos e alugam as bicicleta aos visitantes. A atividade garante vistas incríveis, trilhas bem preparadas para a atividade, muita adrenalina e um belo passeio pelas florestas da região.

No inverno, as estações de esqui de Whistler são umas das mais concorridas da Columbia Britânica. Não é a toa, já que resorts de inverno oferecem pacotes de esqui e snowboard e toda a cidade só fala e funciona pelo assunto.

Preços dos Ingressos Tirolesa:  Sob consulta no site www.whistler.ziptrek.com/

Preços dos Ingressos Mountain Bike:  A partir de C$ 75 Adulto | C$ 37.50 Crianças de 8 a 12 anos

Dicas importantes:  Faça sua reserva com antecedência para as atrações. 

Informações de contato: Tirolesa: Whistler Centre Mountain Bike: Whistler and Blackcomb Mountains 4545 Blackcomb Way, Whistler, B.C. V0N 1B4

Joffre Lakes

A uma hora de distância para o norte de Whistler, o Joffre Lakes Provincial Park possui três lagos de águas verdes cristalinas entre as montanhas. São os lagos mais próximos à Vancouver com esta coloração que vem se tornando conhecida e desejada entre os turistas brasileiros.

Para conhecer bem o parque, é ideal sair cedo de Whistler. O primeiro lago, o Lower Lake, fica a apenas 5 minutos de caminhada do estacionamento. Os mais bonitos, no entanto, exigem uma certa caminhada. Para o Middle Lake são 2 horas e meia de trilha ao longo de 3 km. Já para o Upper Lake, é só andar mais meia hora, totalizando 3 horas de caminhada pelos 4 km de trilha que saem do estacionamento. Isso só contando o caminho da ida. A recompensa vale todo o esforço.

Preços dos Ingressos: Entrada Franca.

Dicas importantes:  Leve lanches, sacos de lixo e suprimentos básicos para a trilha. Por lá, não há estrutura turística como restaurantes ou cafés. 

Informações de contato: Duffey Lake Rd, Mount Currie, BC V0N 2K0


A maior ilha no oeste do continente americano, a Ilha de Vancouver é casa da capital da província de Columbia Britânica, Victoria. Apesar do troca-troca de nomes, a cidade Vancouver não fica na Ilha de Vancouver. Além disso, muitas vezes confundem esta com a Ilha Victória, que fica na realidade no Ártico.

É a Ilha de Vancouver que protege a calma baia que abraça a cidade de Vancouver, Squamish e outras cidades litorâneas da província. As águas remansas atraem diversos tipos de vida marinha, fazendo delas um excelente habitat para as baleias orcas e migração das baleias jubartes, que podem ser avistadas por lá entre os meses de março à outubro.

Aos entusiastas de um litoral com ondas, cidades como Tofino possuem belezas naturais exuberantes e um mar agitado aos surfistas.

Victoria

De Vancouver à Victoria são cerca de 3h20 de viagem. Metade dela é uma travessia de balsa, de 1h35, que sai do Tsawwassen Terminal e vai em direção ao Swartz Bay, em Victoria. As belezas naturais da Columbia Britânica já se apresentam aí, com chances até de avistar baleias na travessia.

Um dos destaques da capital da Columbia Britânica são seus jardins bem-cuidados e parques verdes. O Butchart Gardens é o mais impressionante deles, a apenas 10 minutos do centro da cidade. No verão aos sábados o parque também faz uma queima de fogos espetacular.

Visitar Victoria é o jeito mais fácil e rápido de avistar as baleias orcas e jubartes da região. Existem diversas empresas que oferecem o passeio, com duração de meio dia. Para os mais aventureiros, a melhor opção é ir em um zodíaco (pequeno bote). Para quem deseja mais conforto, existem opções de um barco maior.

 

Preços e Horários da Balsa: Os horários e preços das balsas estão sujeitos à alterações. Consulte aqui os horários e aqui para ver os preços. 

Preços dos Ingressos Butchart Gardens: C$ 32.60 Adulto | C$ 16.30 Adolescentes de 13 a 17 anos | C$ 3.00 Crianças de até 12 anos (preços verão)

Preços dos Ingressos para avistar as baleias: Sob consulta dependendo da companhia.

Dicas importantes: Leve bons agasalhos pra avistar as baleias, mesmo no verão os ventos são frios. 

Onde fica o Butchart Gardens: The Butchart Gardens, 800 Benvenuto Avenue. Brentwood Bay, BC
V8M 1J8

Tofino

Tofino tem uma atmosfera para jovens e casais que procuram por natureza, aventura, praias e camping em uma pequena cidade litorânea com meio ambiente preservado. É o local com o ar mais surfista de toda a região, já que quebram boas ondas. Além disso, é possível avistar baleias por lá.


A imponência das montanhas cobertas por gelo e infinitas florestas de pinheiros, os lagos de um azul turquesa cristalino que se assemelha ao mais celeste céu. São paisagens únicas, singulares e estonteantes.  Por esses motivos, as Rocky Mountains deveriam estar na lista de desejos de todos os viajantes que adoram a natureza.

As montanhas rochosas seguem do norte da Columbia Britânica por 4.800 quilômetros até o Novo México, nos Estados Unidos. A parte que mais recebe visitantes no Canadá é a que compõe os parques nacionais de Jasper, Banff e Yoho. Além dos parques, é indispensável dirigir em uma das estradas mais cênicas e bonitas do mundo, a Icefield Parkway, que liga os Parques Nacionais de Banff e Jasper.

A melhor época para conhecer as montanhas é entre os meses de junho a agosto, quando as geleiras derretem e os lagos ficam com a coloração azul cristalino. Quem quiser avistar a Aurora Boreal e encontrar os lagos congelados, é melhor marcar a viagem entre os meses de setembro a maio. Dez dias por lá permite uma viagem tranquila e com espaço para trilhas mais longas e cênicas.

Como chegar:

Existem três maneiras de chegar de Vancouver às Rocky Mountains: de carro, trem ou avião. A primeira opção exige enfrentar cerca de 9 horas de estrada, mas com paisagens cênicas e paradas que valem a roadtrip, como os Othello Tunnels, em Hope, ou o Glaciar National Park, que dá prévias do que são as Rockys.

Já a ida pelo trem é um dos passeios mais famosos do mundo, a viagem é comprida (16 horas) pelo Rocky Mountaineer, mas deslumbrante. Existem diversas rotas que ligam Vancouver aos parques nacionais que ficam a critério do viajante.

De avião, são poucas horas de voo entre Vancouver e Calgary. Depois, é preciso alugar um carro e dirigir por mais duas horas até a cidade de Banff. Porém, a parte cênica e com diversas maravilhas naturais entre Vancouver e as Rocky Mountains fica desconhecida.

Fique atento aos movimentos de carros parados no acostamento nos parques nacionais. É comum avistar ursos, alces e outros tipos de vida selvagem andando pelas florestas na margem da estrada. Não desça do carro quando avistar um animal destes.

Parque Nacional de Banff

O primeiro parque nacional criado no Canadá, instituído em 1885, começou como uma pequena reserva em meio a predecessora transcontinental do país. Atualmente, ganhou espaço e atrai milhares de viajantes que querem conhecer as incríveis paisagens, lagos cristalinos e montanhas da região, além dos típicos grizzly bears (urso-cinza) que costumam aparecer nas estradas.

A principal cidade do parque leva seu nome, Banff. O clima alpino toma conta do local, com casas típicas das montanhas canadenses, lojas de artesanatos locais e de marcas conhecidas, além de diversos restaurantes. A cidade é concorrida na alta temporada, o que leva muitos viajantes a procurarem por hospedagens com bons preços na cidade vizinha de Canmore, a 10 minutos de distância.

Aos viajantes que não se importam em ficar um pouco longe dos centros comerciais, Lake Louise é uma boa opção de hospedagem. O pequeno vilarejo fica mais próximo aos principais lagos do parque e o hotel Fairmont é o único que se baseia às margens do lago.

Passeios e lagos indispensáveis em Banff:

Lake Louise

O Lake Louise é o lago mais popular do Parque Nacional de Banff. O estacionamento fica ao lado do lago e o acesso é muito fácil. O hotel Fairmont impacta na visão natural do local. Mesmo assim, o Lake Louise possui uma beleza e tanto. No verão, é possível alugar canoas e no inverno o lago é aberto para patinação. Diversas trilhas são boas opções para todos os níveis de preparo físico. A mais difícil, a Devil’s Thumb, tem a vista que mais recompensa.

lagos no canadá Foto: Brian Baldrati

Vista da trilha de Devil’s Thumb. Lake Louise, Parque Nacional de Banff. Foto: Brian Baldrati

lagos no canadá Foto: Brian Baldrati

Lake Louise, Parque Nacional de Banff. Foto: Brian Baldrati

Moraine Lake

Considerado Patrimônio da Unesco, o Moraine Lake, no Parque Nacional de Banff, só abre para a visitação entre os meses de junho a setembro. É só no verão que o acesso pela estrada fica viável e tranquilo. O estacionamento fica ao lado do lago e um lodge também beira as águas cristalinas do local. Trilhas e aluguel de canoas são boas opções para curtir ainda mais o local.

lagos no canadá Foto: Brian Baldrati

Moraine Lake, Parque Nacional de Banff. Foto: Brian Baldrati

maravilhas naturais de vancouver canada por: Virginia Falanghe

Moraine Lake – Foto: Brian Baldrati

Peyto Lake

O mais impressionante de todos os lagos, o Peyto Lake possui um azul turquesa indescritível e montanhas que parecem desenhadas à mão. O acesso ao lago é proibido aos visitantes. Por isso, é preciso conhecê-lo de um mirante no Bow Summit. O local é o mais alto da Icefield Parkway, estrada que falamos abaixo. A trilha para essa vista requer 15 minutos de caminhada em subida íngreme, mas bem sinalizada e asfaltada. O esforço moderado vale cada segundo.

Bow Lake

Como um oásis que se forma em meio a rodovia 99, a Icefield Parkway, o Bow Lake surpreende todos os visitantes que passam por ali. A coloração turquesa das águas com montanhas imponentes atrás fazem deste um dos lagos mais inusitados do local. Para admirá-lo, só é preciso estacionar o carro nos mirantes da estrada que o acompanha.

Bow Valley Parkway

Antes de pegar a famosa Icefield Parkway, uma boa prévia é dirigir ao longo da Bow Valley Parkway, uma estrada cênica que liga Banff à Lake Louise. A estrada com 48 km de paisagens marcantes, é um ótimo local para a encontrar vida selvagem, fazer picnics e trilhas. A rodovia passa também aos pés da Castle Mountain, umas das mais impactantes montanhas do parque.

Banff Upper Hot Springs

Uma das tradições de Banff é uma visita às Hot Springs da região. As termas, que são piscinas criadas por nascentes naturais de água quente, atraem diversos visitantes que procuram relaxar após um dia de trilhas e caminhadas nas montanhas.

Parque Nacional de Yoho

Com mais de 400 quilômetros de trilhas, o Parque Nacional de Yoho é um paraíso aos apaixonados por trekking e uma mochila nas costas. Além das vistas incríveis, lagos, rios e uma pequena cidade dão um toque especial ao parque.

A única opção de hospedagem é o vilarejo de Field. A minúscula cidade, com no máximo 20 casas (a maioria guest houses), fica em um vale com uma atmosfera pitoresca e graciosa. Se não se hospedar por lá, vale a pena passar na cidade para conhecer e almoçar no Truffle Pigs Bistro & Lodge.

Emerald Lake

Não é a toa que o Emerald Lake foi batizado com este nome, já que a cor da água é de um verde-esmeralda cristalino e estonteante. Uma variedade de características geológicas podem ser vistas a partir do lago, incluindo os famosos fósseis de Burgess Shale, que estão preservadas há séculos em cima das altas montanhas que circulam o lago. Eles estão lá antes mesmo da era dos dinossauros. A geleira Michael também chama a atenção, junto com uma encosta coberta de prados.

maravilhas naturais de vancouver canada por: Virginia Falanghe

Emerald Lake – Foto: Brian Baldrati

Natural Bridge

A poucos minutos de distância do Emerald Lake, fica um cânion chamado de Natural Bridge. Ela é uma formação rochosa escavada naturalmente pela junção de dois rios que criaram um cânion em rochas que desembocam no Rio Amiswi. Vale a rápida parada para ouvir a força das águas do local.

Icefields Parkway

Uma das estradas mais bonitas do mundo, a Icefields Parkway não deixa de suprir nenhuma expectativa. Pelo contrário, é difícil retratar tamanha beleza do local, mesmo nas fotos e vídeos mais profissionais. É preciso percorrer de carro os 230 km que ligam Lake Louise a Jasper. Considerada patrimônio da UNESCO, a batizada rodovia 93 passa por glaciais remotos, cordilheiras chocantes de montanhas, lagos cristalinos e vales suntuosos.

As paradas ao longo da Icefield Parkway são infinitas. Por isso, uma boa opção para aproveitar tamanha beleza é passar algumas noites nas pequenas pousadas, hostels ou campings no meio do caminho. A experiência é uma imersão total na natureza, já que ao longo de toda a estrada não há sinal de celular, nem internet.

maravilhas naturais de vancouver canada por: Virginia Falanghe

Icefields Parkway durante uma das paradas na estrada – Brian Baldrati

Estas são algumas das atrações mais importantes que ficam na rodovia no sentido Banff-Jasper. As informações delas estão descritas nos tópicos dos parques nacionais de Banff e Jasper.

Paradas imperdíveis:

  • Bow Lake;
  • Peyto Lake;
  • Waterfowl Lake & River;
  • Glacier Lake  (é preciso caminhar 1 km de trilha para o mirante e 8 km para o lago);
  • Pare em todos o mirantes na estrada, principalmente no da cachoeira Bridal Veil;
  • Parker Ridge;
  • Colúmbia Icefields e o Glaciar Athabasca;
  • Sunwapta Falls (Tem uma pousadinha por lá que leva o mesmo nome. Para os visitantes que quiserem fazer uma parada. Reserve com antecedência);
  • Athabasca Waterfall.

Parque Nacional de Jasper

O concorrido Parque Nacional de Jasper abriga a cidade mais conhecida ao norte das Rocky Mountains, que leva o seu nome. Com um centrinho semelhante ao de Banff, tem restaurantes, lojas e hotéis em estilo alpino que dão o charme ao local. A estrutura turística do parque nacional fica no centro, mas as maravilhas naturais encontram-se a alguns quilômetros de estrada da principal cidade.

Parte delas, fica na Icefields Parkway, como o Columbia Icefield e Athabasca Falls. Outras, ficam ao leste da cidade, como o Maligne Canyon e Lake e o Medicine Lake. Já o Kinney Lake vale a pena conhecer na volta (ou no primeiro dia) da viagem a Vancouver.

Columbia Icefield

Ao chegar no Parque Nacional de Jasper pela Icefields Parkway, a primeira atração é o Columbia Icefield. Um estacionamento semelhante em proporção aos parques da Disney surge na estrada, ao lado de um centro que recebe as centenas de visitantes que passam pela rodovia diariamente na alta temporada. Por lá, é possível fechar tours guiados para conhecer e pisar no impressionante Glaciar Athabasca ou para o SkyWalk, uma estrutura de vidro suspensa em cima de um vale.

Aos visitantes que não tiverem tempo o suficiente para o tour, caminhar até o glaciar de Athabasca também é uma ótima opção. Nos próximos 100 anos, o glaciar deixará de existir por conta do aquecimento global. É possível observar a imensidão do rio congelado e descobrir a história do glaciar aos pés da montanha.

Athabasca Falls

A Athabasca Falls é uma das cachoeiras mais lindas das Rocky Mountains. Não é preciso andar muito a pé para admirar a imensa beleza do local. A queda d’água possui água cristalina esmeralda com pano de fundo para as montanhas. Vale a parada e explorar os caminhos demarcados da atração.

maravilhas naturais de vancouver canada por: Virginia Falanghe

Athabasca Falls – Foto: Brian Baldrati

Maligne Lake

Um dos cartões-postais de Jasper, o Maligne Lake é um dos principais pontos da região, a 20 km de distância ao sudeste da cidade. Além do impressionante visual, com as águas cristalinas e montanhas cobertas de gelo ao fundo, existem cruzeiros que fazem um tour pelo lago e levam à Spirit Island, uma pequena ilhota com pinheiros que parece flutuar no local.

Kinney Lake

Apesar de não muito conhecido, o Kinney Lake é um dos segredos bem guardados das montanhas rochosas, mais precisamente na região de Mount Robson. Para conhecê-lo, é preciso enfrentar uma trilha de 1h30 apenas de ida, ao longo do rio. É preciso dedicar um dia inteiro para conhecer o lago, já que fica a 1 hora de distância de carro de Jasper.

Preços dos Ingressos: Em 2017, devido a comemoração do aniversário de 150 anos do Canadá, todos os parques nacionais estão com a entrada franca. 

Dicas importantes:  Mesmo no verão, o clima nas Rocky Mountains é muito frio. Leve casacos corta-vento. Leve lanches, sacos de lixo e gel higienizador de mão em todas as trilhas e lagos, não há restaurantes na maioria delas e os toaletes são pequenas cabanas. Poucas trilhas para os lagos tem indicações de distância. Leve um apito para espantar os ursos e nunca ande em grupos pequenos e silenciosos. Faça bastante barulho e ande em mais de 4 pessoas nas trilhas. Alugue um carro, pois as distâncias são longas entre os lagos e atrações.

Gostou de nosso guia de Vancouver e arredores? Deixe seu comentário. Você pode conferir mais matérias sobre o Canadá clicando aqui.